02/12/2010

REVOLUÇÕES EM TRÂNSITO.

      



Deixar a esperança morrer, parar de pensar que tudo poderá retornar algum dia.. Perceber que a oportunidade que se perde, não volta. Há de se criar tudo de novo, reinventar os lugares e remover os sujeitos. A imaginação é necessária, entretanto não pode amputar a ação. O corpo tem que se por em movimento, pois a força é atributo dos músculos e da vontade que transforma por não ser somente vontade. 

Não são os heróis que movem o mundo, mas são eles que refletem a letargia geral . Não se pode voltar, mas isto não deve ser empecilho, o que não se deve é tentar implantar as mudanças com base em arrependimentos. O elemento de renovação é a criatividade empenhada consigo e com os outros.

O vulgar é o que resta. Afogados em situações banais tentando respirar, suportando o ambiente preenchido por partículas nocivas, que fazem tossir e prender a respiração por longo tempo e continuar em direção a um ambiente ainda mais caótico, onde os pulmões adquirem capacidade de filtragem impressionante, até chegar ao ponto que param de funcionar, e ai o corpo aprende a viver sem eles. E tudo porque há de se continuar,criando novas condições de vida e não apenas de sobrevivência.