08/01/2011

PERGUNTAS FÚTEIS



Encarnamos papeis, que nos fazem adentrar num mundo imaginário,sonhamos com amores, empregos dignos e felicidades tranquilas. Mas o que fazer quando a fenda se abre,quando percebemos que tudo é um grande teatro a céu aberto e que a ilusão não sustenta mais o cotidiano maçante? 
O suicídio pode ser a solução, mas é uma decisão que se realiza mais na ação do que na reflexão, quem pensa muito não puxa o gatilho. 
Mas o suicídio se tornou tão senso comum,parece até que todos andam com a lâmina a acariciar o pescoço,só esperando o peso da gravidade agir. È tão decepcionante chegar a respostas óbvias. 
O outro deve ser glorificado ou violentado,pelo fato de ser o objeto de nossa condenação? Sinceramente, não sei,os ombros são  aconchegantes e  e refazem a lógica.
Melhor mesmo é continuar fingindo que o mundo gira em torno das minhas abstrações,que devo ser ético,já que preciso do pão macio e do café quente.