31/12/2012

SÓ QUERIA DIZER


Eu só quis brincar com você
lhe usar e jogar fora,
Eu só quiz lhe fazer minha 
e depois lhe jogar no lixo.
Asim como se faz com restos de comida.
Eu só quiz um beijo seu 
e depois lhe cuspir na cara,
Eu só quiz ser parte do lixo 
quando lá no lixo você chegasse,
com raiva de todos e mais ainda de mim,
Eu só quiz dizer-te 
que o amor que sinto ,
é maior que todas as mentiras que contei,
que todos os olhares que não olhei,
que todas as feridas que causei,
e que me causaram dor.
Eu só queria dizer
Que se eu  não disse,
Isso não tem haver com você,
Mas comigo.

PODE IR



Pode ir,
Vou ficar mais um pouco.
Aqui...Sentado...
Sem esperar nada acontecer,
Sem esperar por você,
Sem esperar por ninguém,
Sem esperar o trem,
Sem esperar o ano novo,
Que vem,
Mesmo contra vontade.


SEU JEITO



Seu jeito bem comportado,
Sua roupa sempre engomada,
Seu olhar de liberdade aprisionada,
Sua felicidade de televisão
Sua dose de migalhas,
Seus sonhos de consumo.

Seu ambientalismo predador,
Seus lábios vermelhos de dor,
Sua cara coberta de pó
Seu corpo objeto de marcas,
Sua beleza maquiada de feiura.

A necessidade de ser mulher,
O medo daquela menina,
Negando a alegria da descoberta,
E buscando em tudo, remuneração.

A necessidade de lentes,
De técnicas fotográficas.
Escondida atrás de máscaras,
Prefere as frases feitas,
As receitas os moldes,
Invés do pincel. 

29/12/2012

ENGANO




E se um dia eu te procurar,
É pra dizer que foi engano,
Que estava procurando a saída,
Pra não mais te procurar.


22/12/2012

ESPINHOS COM AMOR



Oh meu amor,
Tenho uma flor
Pra lhe dar,
Aqui estão os espinhos,
Pra que a flor não morra em suas mãos
E as caricias tenham motivos,
Para te cobrir de abraços.

21/12/2012

VAZIO POR VAZIO





Exigem que fale bastante,
Mas não aceitam que algo seja dito,
A fala deve ficar na superfície.
Por isso,vazio por vazio, 
Fico com o silêncio,
Minha verdade e mentira,
Minha coragem e covardia,
Meu espaço seguro repleto de conflito.
Meu encontro e desencontro.


19/12/2012

JUVENTUDE ENVELHECIDA




 Andrzej dragan

As pessoas querem viver até os cem anos,
E serem jovens até os noventa e nove,
Elas querem muitos anos e jovialidade.
Em breve teremos mulheres com mais de cinquenta,
Fazendo cirurgias de reconstituição de hímen,
A cada novo mês.
E homens com noventa anos,
Tomando Viagra com o mingau matinal.

18/12/2012

SEU DEUS E MEU MEDO



O que você chama de Deus,
Eu chamo de medo,
Mas às vezes,
Faço do medo,
O meu Deus,
Enquanto você,
Além do medo,
Tem uma imaginação fértil,
Que nunca o deixa só.

30/11/2012

PHOTOSHOP.


Elogio que não se pode dizer a uma mulher

"Você pessoalmente é mais bonita que na foto"

Ela logo vai pensar
-Que foto ?
Chegando em casa vai apagar todas as suas fotos das redes sociais. Vai se maquiar,comprar uma roupa,e se cobrir de pó, tecido e cabelo. Ai sim vai pegar a máquina fotográfica,tirar 559 fotos, escolher duas, e disponibilizar para todos, em seus perfis virtuais.

O que se deve dizer é alguma coisa do tipo:

-Nossa... eu vi sua foto,mas não imaginei que era real.

Ai ela vai se sentir bem.

A mulher de hoje não vive sem uma máquina fotográfica,ela quer ser um Photoshop de si mesmo. Assim como as modelos, elas não se contentam em simplesmente serem vistas em suas poses rotineiras,elas querem mais,querem simular o real,querem o real e muito mais.


26/11/2012

OLHAR DE MULHER



Quantos segredos guardam 
o olhar de uma mulher .
O olhar de mulher,
tem um pouco de vagina,
E tem muito do desconforto 
de atender os seus desejos 
e dos outros.
O olhar de mulher é seu corpo,
Sua dor inaudível 
de silêncio e expressão,
de mistério e revelação.
Espaço que separa
e aproxima, 
o visível e o intangível,
aparência e essência,
por ser  olhar,
e oceano. 



25/11/2012

O DESTINO DOS SELVAGENS





O rosto de uma criança encostado no colo de sua mãe,
Um dia ensolarado,
Uma sinfonia desconhecida sendo interpretada na praça,
Todas as escolas e igrejas fechadas.
Todos os sonhos na palma da mão e um mundo a ser inventado.
Toda a dor de cabeça empenhada em desfazer e criar.
O corpo pulando do trigésimo andar de um prédio que não foi construído.
Não admitir ver somente isso e ser apenas o que si é,
Mas vir a ser bem mais até a falta de medida,
Mais que a vida que os filmes prometeram.
Ser o resultado de todas as revoluções,
E mesmo assim não ser grande coisa.
Onde todos se esconderam ?
Onde foi parar a vontade de não se entregar ?
Quando foi que o erro fez perder o direito de errar ?
Será mesmo que a história acabou ?
Que o sonho se fez pesadelo ?
Que a inteligência tirou a mobilidade ?
Que a informação em excesso levou a curiosidade ?
Parem já essa máquina atroz,
Parem tudo para  ver a folha cair,
Ouvir a criança chorar e sentir o gosto d' água gelada,
Parem tudo que se for pra continuar assim,
É melhor ficar no meio do caminho,
Esperando o próximo carro passar por cima.

24/11/2012

AS PESSOAS NÃO SÃO CONCEITOS



As pessoas não são conceitos,não são perfeitas, não são feitas de gesso e nem são somente massa de modelar. Elas não falam pra magoar,mas machucam na necessidade que tem de se expressar. Elas vão embora em busca da respiração que nossos braços não permitem, e voltam, já que só respirar, não basta.

19/11/2012

DOR.



Dor de cabeça e febre .
Dentro do crânio,
Um segundo coração,
Bombeando devaneios,
Em um ritmo de dor quase insuportável.
Dormir é impossível,
viver , impensável.
Se pudesse sua companhia,
acariciar minha dor,
seria qualquer coisa,
que não apenas sofrimento.

14/11/2012

DE ONDE VEM ESSA PERFEIÇÃO ?



Ela gosta de combinar,
Eu me sinto bem na desordem,
Ela bagunça meu mundo,
Enquanto me encontro sem saber onde.
Ela guarda tudo em seus devidos lugares,
E eu sequer sei onde deixei a gaveta.
Ela come doce e emagrece,
Eu bebo água e engordo.
Ela dança e a balada continua,
Eu começo a sacudir o esqueleto,
E a polícia chega pra prender o louco da festa.
Ela bebe uísque e continua elegante,
Eu olho pro lado e dou com a cara no poste.
Ela senta, fala e todo mundo escuta,
Eu abro a boca e todos ficam surdos.
Ela passa e o trânsito para,
Eu espero o sinal fechar,
Passo e o cara só não passa por cima,
Para não estragar a pintura do carro.
Ela é perfeita e eu desconfio
De toda imagem de perfeição.
Acho que fui eu que criei,
Na minha imaginação,
Um pouco da perfeição daquela mulher,
Em um desenho tridimensional,
Mas me dou conta, que sequer sei desenhar,
Algo que se pareça com um retângulo.

01/11/2012

BALBUCIAR



Matar a sede na tua boca,
Balbuciar em teu ouvido,
Palavras de amor,
sem mais nada a dizer.
E suavemente gritar,
Gritar,gritar e gritar,
Até a dor secar,
Até o som ensurdecer,
E o silêncio enxergar.
A beleza do olhar.



31/10/2012

TEMPO


Não tenho muito a dizer,
Apenas que o tempo passa,
Ou melhor o tempo não passa,
Já que o tempo é simplesmente
O nada no qual nos acabamos,
O que passa,são as oportunidades,
As brincadeiras de criança,
O impeto da juventude,
Os sonhos de consumo,
O desejo de um grande amor,
Que vão ficando pequenos.
E o que resta é o trabalho,
Que não nos deixa fazer.
E o que resta é a academia,
Que nos faz levantar pesos,
Com a ilusão de movimento.
E o que resta são os cursos,
Que ensinam,
Como dormir bem,
Como beijar,
Como transar,
Como ser feliz,
Como fazer os outros felizes,
Como se relacionar,
Como se comportar,
Como andar,
Como arranjar um emprego,
Como manter o emprego,
Como comer para emagrecer,
Para continuar magro.
E o que resta,são as receitas.
De saúde,de bons modos,
De profissionalismo e de paciência.
E o que resta meus amigos?
O que fazer meu bem ?
Não me deixe acreditar,
Nesses malditos manuais.
Se for pra se acabar,
Que seja entre braços e pernas.

28/10/2012

ENCANTADOR.

  Adorei a foto,
o desenho dos corpos,
a encantadora criança,
 o senhor de braços cruzados,
 o soldado envergado.
 E a multidão como sempre,
 olhando para o lugar errado.




PULITZER 1958 – “Fé e Confiança” – Willian C. Beall.
Um policial conversa com um garoto de dois anos em pleno desfile em Washington DC, que tentava atravessar a rua.


27/10/2012

A BELEZA DE UMA MULHER.




A mulher mais linda,
Não é modelo ou a atriz,
Não é feita de maquiagem,
De roupas de marca,
De cintura fina e busto avantajado.
A mulher mais linda, 
É aquela que não se reduz a uma parte,
Que não precisa ser comparada,
Que não é mais ou menos,
Do que você deseja,
E mesmo assim,
Não se reduz ao seu querer.
A mulher mais linda,
É a simplicidade do encanto,
Por algo que é,
Simplesmente aquilo que se pode ser.

26/10/2012

ENSINAMENTOS GESTUAIS.


Um amor que persegue,
De longe de perto e amiúde,
Que faz refletir,
Que faz  ir,
A lugares que não se conhece,
Que faz querer ser melhor,
E ir além do egoismo,
Da  visão deturpada,
Das algemas lustradas,
Dos tranquilos sonhos,
Da realidade pequena.
Um sentimento que ensinou,
Que revoluções sem paixões,
Não mudam visões.



25/10/2012

QUANDO A LUZ APAGA


Quando a luz apaga,
E a gente fica só,
E não se pode ler,
E não se pode escrever.
É possível perceber,
Que a solidão,
Não se satisfaz sozinha.
Que o corpo não se contenta,
Com a distância.
Que os olhos podem até não ver,
E até melhor quando estão fechados,
Se fazendo parte do que é só contato.




CHEIRO DE COLA



Outro dia uma aluna me perguntou:
-Professor será que o mundo vai acabar mesmo?
Não entendendo o que se passava,tentei me localizar,
-Como assim ?
-É  que andam dizendo que o mundo vai se acabar.
Soltei um leve riso e falei;
- Meu bem, não se preocupe,problema mesmo é se continuar a existir.
Ela fez silêncio,todos a acompanharam.Ai peguei o livro de filosofia e pedi que todos abrissem na página 122. Explico  o conteúdo e passo a atividade. Três alunas entram em sala,sentam o mais distante possível do professor,que no caso sou eu e começam a cheirar cola. Posso até sentir o cheiro inebriante do composto Químico. E tudo parece se mover em uma velocidade lenta. Posso inclusive sentir a textura das paredes sem nem precisar toca-las. A campainha anucia o fim da aula,o monólogo termina e escuto de longe;
-Tchau professor
-Falou professor
Abro os olhos e não vejo mais ninguém. Até que uma enfermeira aparece e me pergunta,
-Como está ?
Não respondo absolutamente nada,só quero dormir e dormir e durmo.
Acordo com um peso de mulher sobre o meu peito. Ela se move por cima de mim. E começo a me mover com ela. Ela geme baixinho e percebo que estou acordado. As cores a minha boca molhada,aqueles seios a preencher minha visão. Me sinto vivo de novo, como desde criança não sentia. Ela pula e a cama parece ceder e o chão parece ceder e o meu corpo parece integrado ao mundo.

HISTÓRIA TOTALMENTE CRIADA,NÃO HÁ NADA BASEADO NO QUE POSSA SER CONSIDERADO COMO PERTENCENTE  A REALIDADE OU NELA INSPIRADA.

-

23/10/2012

ROTINA ALIMENTAR.


No centro da cidade do crato,as 18:00 h,
estava eu, sentado a espera de um sanduíche,
numa dessas lanchonetes, em que muda-se o nome da comida,
mas o gosto e os ingredientes, parecem ter o mesmo sabor,
que não se sabe bem qual é,já que o ketchup e a maionese,
tiram toda a sensibilidade do paladar e o que se tem,
são  dois pães,com alguma coisa no meio.
Mas de todo modo não era sobre isso que queria falar,
mas das pessoas que passavam,
vindas do trabalho,indo para a academia,
para a universidade ou simplesmente vagando,
sem saber para onde ir e quando chegar.
Sempre fico curioso em saber,
o que faz as pessoas fazerem o que  fazem,
É uma forma de refletir sobre mim mesmo,
de desorganizar o meu mundo simbólico.
No fim da análise,nunca chego a uma consideração,
mais ou menos conclusiva,apenas vagas hipóteses.
E por alguns minutos esqueço,que estou ali,
a espera de dois pães com alguma coisa no meio,
que tenho até medo de olhar para ver o que é.
Talvez um daqueles ratinhos peludos,
que a gente corre com medo.
Não importa, o ketchup tira o gosto.
Enquanto mastigava,as pessoas continuavam  passando,
mas não me interessavam mais que o meu camundongo,
Banhado ao moho de maionese com sangue de menstruação,
Das garçonetes,que iam e viam,enquanto eu comia.


CAVALHEIROS.




CAVALHEIROS A VIDA É MUITO CURTA... SE NÓS VIVEMOS, VIVEMOS PARA ANDAR SOBRE A CABEÇA DOS REIS.

WILLIAM SHAKESPEARE.


Cavalheiros,a vida é muito curta,
                           é muito longa,
Para fazer da escravidão,
                da servidão,
                da compaixão,
                do medo,
Um modo de vida.
Cavalheiros,se é pra viver,
Que seja para andar,
Sobre a cabeça dos patões,
                          dos donos do mundo,
                          dos homens de boa conduta,
                          das senhoras conservadoras,
                          dos fundadores das religiões,
                          Enfim dos amantes da servidão.

Felipe Richard.
                       

21/10/2012

GOSTO DO OLHAR


Gosto de olhar pra você,
De não saber o que é certo ou errado,
Gosto quando por um segundo seu olhar passa,
E perpassa o que não sou mais,
Gosto do jeito que fala,
Quando estou distante e não posso ouvir,
Gosto do gôsto que desperta,
Quando disfarço sentir,
O que deveras sinto em não sentir.
Gosto da cicatriz em teu rosto,
Esta que inventei, pra não ser tão perfeita,
Ou mais perfeita, que a perfeição que desconfio.
Gosto da vontade que desperta,
De lhe tomar nos braços,
Sem lhe falar uma palavra,
Pois as palavras,quando tenho você por perto,
São só palavras,não dizem nada,
Não tem conteúdo, substância,
São de menos, para ao menos representar,
O que a palavra gostar é incapaz de manifestar.




PERFEIÇÃO



Quanto mais se procura a perfeição, mais se perde o contato com o chão. Torna-se solitário, isolado de tudo e de todos. Preso ao que não se criou. Abraçado a um material inerte e sem a possibilidade de diálogo e de desconstrução. A tendência natural do ser humano, com sua racionalidade e com a mania de transcendência é a de afastar-se do mundo, como ele é. No fim, não consegue-se esse afastamento do mundo e de seus acidentes,já que ele é a substância que possibilita a ação. E a abstração acaba elevando o indivíduo de tal modo,que o mesmo fica mais próximo de uma ilusão divina que das relações, que mesmo imperfeitas,são expressões do prazer que podemos provar.

20/10/2012

TEU JEITO PARTICULAR DE SENTIR



Posso sentir teu desespero, tua dor,
Não,só a criança que é, sabe o que se passou,
Com tuas lágrimas de sangue,
Com teus mortos ao redor,
O que era o mundo e em que se transformou.



       Fotógrafo afegão Massoud Hossaini, autor da imagem vencedora do prêmio Pulitzer ao registrar o choro de Taraneh Akbari, depois de um ataque suicida em um templo lotado em Cabul, capital do Afeganistão, no dia 6 de dezembro de 2011.
"Toda a minha concentração foi para tentar capturar o momento. Então eu vi um monte de roupas coloridas e uma menininha, que eu tinha visto antes da explosão. Ela estava gritando em meio ao medo e ao caos. Ela estava cercada de corpos ensanguentados da família dela e amigos". 
       Mais de 70 pessoas foram mortas na explosão, que coincidiu com o festival muçulmano xiita Ashura e foi o mais grave ataque suicida em Cabul em 2011.

POETA


O poeta é aquele que ver,
Senti e  não quer sentir.
Se embriaga com o vivido,
Não entende, e
Escreve como quem bebe vinho.
O poeta  é amor,ódio,
Distração e delírio
Tudo ao mesmo tempo,
E sem saber.
O poeta não faz poesia,
É feito por ela,
E se desfaz nas palavras,
Que encaminha ao papel.
O poeta é um tolo,
Averso do sábio que pensa ser.


16/10/2012

GOSTO.




Se não gostou,
Sinto muito,
Mas não tanto,
Quanto vai sentir,
Quando aprender a gostar.

HÁBIL.


A inteligência de uma mulher,
Sempre carrega um teor de beleza,
Toda mulher hábil no pensamento,
Atrai duas vezes,
Pela beleza,
E pela sabedoria de sua beleza,
E pra isso, nem precisa entender.


Foto de Clarice Lispector
Texto: Felipe Richard

15/10/2012

INSÔNIA



O mundo tem sete bilhões de pessoas,
Registradas,catalogadas e ignoradas por mim,
Em quase toda a sua totalidade,
E por causa de uma delas, não consigo dormir,
Não consigo pensar em outra coisa.
Já me consultei com todos os poetas,
Médicos nenhum,não tenho doença, e dinheiro pra pagar,
O que tenho é um calor que não aquece,
E um copo esvaziado que não serviu de nada,
Maldito sejam as mulheres lindas,loiras e de olhos azuis,
Menos obviamente aquela que me deixa nesse estado,
Porque essa, eu agradeço todos os dias por existir,
Agradeço sem saber a quem, onde e quando,mas agradeço,
Ela é a ex namorada que não tive,
Que desabafei tudo,sem dizer uma palavra.
Uma mulher dessa, deve ter mais desprezo por mim,
Do que pela caspa de seus lindos cabelos,
Já que as caspas causam um tipo de incomodo,
Que bem ou mal, incomoda,
Quanto a mim que só sei escrever, e mal,
Num mundo de analfabetos letrados,
Pareço estar em desvantagem,quando me comparo a caspa.
Mas de todo modo,não consigo dormir,
E a culpa é dela,pode ter certeza,
Mas já sei o que vou fazer,
Vou envia-lhe um buquê de rosas,
Com duas ou três palavras que a façam dormir,
Quando o corpo estiver adormecido,
Vou toma-la nos braços e leva-la para uma ilha,
Quando acordar, contarei toda a verdade,
Que não sei o que aconteceu,
Que não sei o que vai acontecer,
E não não me importa o que vai acontecer,
Que por algum motivo nós estamos juntos,
A dois a sós e com cinco minutos para nos entender,
Antes que o rapaz do barco retorne,
Cobrando o dinheiro que não tenho.

14/10/2012

NOVO OLHAR.



Antes, considerava a vida,
excremento de enfermos 
E reclamava de assim ser,
Agora não...parei de choramingar,
De ficar maldizendo o mundo,
Não adianta,
Não vale a tinta,
Nem o papel
Se é o ridículo que aparece,
É o patético a matéria da arte,
E sou parte deste hospital ,
Fui expulso do corpo, 
para um corpo me tornar,
E aqui estou,e vou ficar, 
e vou ri e chorar,
E cair na gargalhada até dormir,
E acordar. E ei de olhar o mundo,
Sempre como se fosse a primeira vez,
Num eterno retorno ao mesmo e ao novo.

11/10/2012

SIMPLESMENTE CRIANÇA.



Toda criança tem direito a ser criança,
A ser pequena na grandeza da infância,
A ser atenta as insignificâncias da vida,
Até quando se fizer dor a de ser imaginada.

Toda criança tem direito ao seu mundo,
Ao egocentrismo coletivo de si e dos outros,
De não se importar em tornar-se adulto e perder o encanto,
E se encontrar ao se perder no olhar que senti.

Toda criança tem o direito de não ter direito,
E mesmo assim ser respeitada em seu modo particular ,
Em seu destrato a ignorância dos professores,
Dos mestres e doutores, que perderam o prazer.

A vida sem infância é só vida e morte,
É burocracia,tédio e perda de tempo,
A infância é o período da liberdade sem respeito,
Sem vontade de crescer de se tornar qualquer coisa.

A infância é  vida que desdobra-se em si,
É o momento que não projeta sonhos,mas os realiza,
Ser criança é olhar o mundo,enquanto parte dele,
No instante em que tudo se dilui em massa de modelar.

10/10/2012

MINHA ÁGUA GELADA






Eu preciso de você como d' água,
Como da geladeira pra gelar a água,
Como da garrafa para guardar a água
Como da caneca para não beber na garrafa,
Eu preciso de você,
Para que meu peito não gele como a água.
Para que caneca, garrafa e geladeira não fiquem vazias.



08/10/2012

DEVAGAR E SEM DIREÇÃO



Não sei muito sobre a vida,
E não sei quanto tempo leva pra saber,
Só sinto que às vezes cansa,
E quase sempre não conseguimos,
E quando acontece, logo perde-se o encanto.
Devagar e sempre, envelhecemos,
E na velocidade frenética, perdemos os instantes.
Seduzidos pelas paixões tem-se algo,
Apegado à vida perde-se esse algo.
Sofre-se, dorme-se, inventam-se realidades,
Disfarça-se o que não se senti,
Ganha-se fortunas,
E perde-se o apreço,
Pelo que não tem preço.

DESENHO


Eu te recriei,
Para ter um pedaço,
Um fio do teu cabelo,
Enlaçando meu sonho a realidade.
Eu te fiz minha, sem contrato,
Sem cobranças e aborrecimentos futuros.
Eu te fiz parte da minha vida,
Para não ser necessário,
Compartilharmos a morte.
Te desenhei com a minha falta de talento,
E me fiz ridículo e atento ao que não passa.
Os traços do teu rosto,do teu corpo do teu dorso,
Do teu manso e atrevido andar,não soube fazer.
A imperfeição é sempre perfeita em seus detalhes,
Em seus mais pequenos acidentes.
O que não foi visto,inventado se fez,
O que não foi percebido,
Pouco importa,em face do que foi.
Agora,aqui tenho em mãos, o seu desenho,
Você não está nele,mas eu estou.

07/10/2012

O SORRISO DELA


Que belo sorriso moça,
É preciso força,pra sorri,
Quando a tragédia bate a porta.
E você sabe fazer isso como ninguém,
Tem mais vida em seu sorriso,
Que em todos os programas de TV,
E olha que o seu é de verdade,
Percebo em sua face rosada.
E olha que só te vi duas vezes,
E agora na terceira quando imaginei.

06/10/2012

PEÇA


A vida é uma  peça,
Quando a gente é criança,sabe,
Quando se torna adulto,esquece.
As coisas ficam sérias,
Desaprendemos a dizer sim a vida,
E nos tornamos  brinquedos,
De um jogo em que somos as peças.
Jogadas de um lado para o outro,
Em um tabuleiro que nos afasta,
De quem queremos estar próximos.
Só desejo que ela leve a sério,
Sem perder o sorriso,
Quando digo;
Que ela é parte do meu jogo,
Que não criei,que disse não,
Que preferi sonhar,que viver como adulto,
Aquilo que só se sabe,quando é criança.



02/10/2012

VENDO O QUE SE VER.


Os momentos de solidão são indispensáveis,
Mas não são nada,
Sem aqueles segundos,
Em que conseguimos compartilhar,
Um pedaço de realidade que seja.
Tudo se torna tédio sem esses segundos,
Em que nosso olhar é arrebatado,
Por uma vontade de estar junto, no ato de ver.
Vendo o que se ver, somos vistos,
 E só, somos mais que um,
Somos partes ao nos perdemos,
Do que eramos,quando estávamos sós.




30/09/2012

CUIDANDO DE VOCÊ.


Tenho de você o que preciso,
Das outras mulheres tiro o resto,
Um grande amor como você,
Se  não tiver cuidado,aprisiona,
Numa aliança ou num sonho de eternidade.
Se apaixone,case-se,tenha filhos,
E reinvente a felicidade,
Estarei cuidando do seu bem, de longe,
Sem você saber,
Sem precisar de agradecimentos,
Pagamentos e coisas do tipo.
Quando rezar, estarei lá,
De joelhos,com um suspiro ateu,
A te consolar das dores em falta
E em excesso.
Quando sentir prazer com um outro homem,
Vou ter certeza que fiz bem em não aparecer,
E a sensação de solidão vai se aprofundar,
Por não ser a minha carne o teu cobertor.

29/09/2012

ESCRITA DA CARNE



Escrever pra mim,
É não saber bem o que se passa,
É lidar com as próprias emoções,
E de certo modo fugir das mesmas,
Expondo-as,jogando-as nas mãos de algum desavisado,
Que ao ler,vai sentir o corte da carne que virou palavra.
E que deixou de ser o que era, quando não era coisa alguma.

28/09/2012

PARTE DO TODO


Beija a porção de carne,
Que não pode comer.
Deita-se na barreira
De ossos,músculos e dieta.
Move-se sem sair do lugar,
No suor da batalha do amor.
Vinga-se do que entrou,
Sem pedir licença,
E prende no âmago de teu ser
O que agora é parte do que sou.

ESTÁ ESCURO BABY


Flor...De tanto esperar ,
Me embriaguei de sede.
Não senti o gosto,
E a flor se desfez

Baby,não sei falar bem,
Mas sei baby,que é você,
Que a linguá pronuncia,
Quando não tem o que dizer..

É você que aparece,
Quando tudo está escuro,
E não posso ver nada,
E entendo tudo.

Baby,quando as luzes apagam,
Posso ver que o brilho,
Distorce,
Posso ver quase tudo.

Baby,a gente não sabe olhar,
A gente só olha, pra se ver,
E não ver nada.

Eu poderia te abraçar,
Quando você passa,
Mas no fim das contas,
Quero que tudo seja perfeito,
Mesmo que contra a vontade.

Se sozinho é difícil,
A companhia,tira o que resta,
E o que resta é o que foi tirado.

Te falei que tudo ia mudar,
E a mudança seria bem vinda,
Mas baby,tudo não passou de mentira,
De engano e medo,
De não mais te ver.

Mas de todo modo,
Sempre vou ter algo,
Com engano e sem ressentimento.


26/09/2012

HIPOTERMIA


Não quero saber,
Está frio,e isto é tudo,
Me deixe congelar,
Logo a hipotermia chega.
Me deixe em paz,
Não...Leve também a paz,
Os conselhos,
O céu o inferno,
E o meio do caminho.
Não estarei em lugar algum,
E em espaço desabitado,
Ei de queimar de frio.
Seja feliz,seja você,
E não queira me agradar,
Não gosto de elogios,
E pedidos de desculpas,
É a sua liberdade que importa,
O resto é resto,
Pode deixar no lixo.
Eu te amo,
Deixa dizer-te,
Mais uma vez
Te amo,
Só mais uma vez,
Amo,
É... a verdade é silêncio ,
Prazer pela insatisfação.

16/09/2012

VIOLÃO VELHO


Tenho um violão velho,
Com cordas, madeira e solidão.
Escrevo letras de músicas,
Mas desconheço a melodia.
A madeira não fala,
As cordas não cantam,
E a solidão não pode dançar.
E assim  ouço,
Sem entender bem o que se passa.
Confundo risos com desespero,
Vida com cinema,
Amor com mentiras,
Amizade com superficialidade.
E sinceridade com hipocrisia.



15/09/2012

SEM IGUAL


Você foi feita pra mim,
E não foi feita por ninguém,
Você é assim,pois é assim que gosto,
Mesmo sem saber e sem escolha.
Quando  apareceu,não havia deus,
Não havia nada,que fizesse acreditar,
Que o mais importante é amar.
Você tem olhos azuis,
Cabelos cor de ouro,
E lábios que fazem sorrir.
Você é assim, só para agradar,
E se não fosse assim, não seria você,
E não seria eu, que viveria,
Sem alguém assim,como você.
Passou,olhando e fingindo,
Não ver,o que você inventou,
E continuei a reinventar.
Você foi feita pra mim,
Agora sei,pelo  fato,
De não poder ter.
Você é assim,pois é assim que gosto,
De ver ,sem esperar nada,
Da mulher,feita de melodia,
Liberdade e imaginação.

14/09/2012

Amor é palavra


Amor é palavra,
É sentimento chamado amor.
É fogo é água é terra.
Amor é dor e prazer,
Prazer de estar próximo,
Dor, de não ser suficiente.
Amor é amor e com amor se basta,
E não basta, deve haver desamor.
Amor é liberdade de não ser livre,
E de ser livre sem liberdade.
É o gole de saliva que envenena a alma,
E faz do corpo a carne do mundo.

13/09/2012

VELA ACESA



Estou te esperando, onde o inferno é mais quente,
E o céu uma lembrança distante,
Onde a pele queima de prazer e alma é o próprio fogo.

Seu caminho não tem chegada e o meu não tem saída.
Sou o demônio que você quer beijar enquanto disfarça e reza.
Eu sou a doença do mundo que pode lhe curar,
A praga da qual foge com medo de encontrar-se.

Minha morada não tem endereço fixo,
Meu número faz a ligação retornar,
Enquanto percebe que está ocupado e desliga.

Meu revolver tem mais de mil balas, uma a menos,
Depois de disparar a primeira no próprio crânio.

Minha risada é a tragédia de viver,
De não esquecer,
De não viver;
De ter que beber o veneno;
A cada beijo,
A cada desespero,
A cada amor correspondido,
E  inventado.

O meu caminho são todos aqueles,
Com uma vela acessa na mão esquerda,
Enquanto com a direita se masturba,
Tentando mostrar o caminho,
A ser desviado.

12/09/2012

LOUCURA DE DIZER


Quando digo, te amo,

soa tão senso comum
Parece que não é amor,
Ou de verdade não posso dizer.
A palavra é o que tenho,
E com ela vem os sentimentos.
Sou louco por dizer e não fazer,
E digo, por ser louco e não agir.
Se não fosse,cobriria-te de pau e sebo,
De ardor e asco.
Por ser tão minha e do mundo.


10/09/2012

FUMAÇA


Na pele clara o beijo,
No esquecimento do mundo a lembrança.
Meu amor perdido no espaço tempo,
Se fez fumaça e queimou,
O que agora é vazio.

08/09/2012

DIGA A QUEM PROCURAR



Não se importe com o que penso.
E não  peça para me importar.
O que eu fiz está feito,
E vá tudo para o inferno.
Se alguém ligar,
Diga que mudei de planos,
E não quero mais planejar.
Se alguém chorar,
Conte que a culpa foi minha,
Mas que não estou disposto a pedir perdão.
Se alguma linda mulher aparecer,
Minta que fiquei cego,
E não tenho mais nada a oferecer.
Se a polícia chegar , fale que já estou preso,
E não saberia como lidar com a liberdade das grades.

06/09/2012

REALIDADES



De qual realidade você está falando,quando diz que devemos viver a realidade? Existem tantas, quanto você for capaz de criar. Como existem tantas outras, que não é possível evitar.

Podemos começar com um beijo, é assim, vamos supor que você se encontra com o seu namorado na beira de um lago, e começam a se beijar. Para você aquilo é tudo e não existe outra realidade no breve instante do encontro, agora para ele,pode ser, que você seja somente uma simulação da realidade, que o mesmo não pode ter, uma outra mulher,uma outra boca,uma outra bunda,coisas do tipo. É só uma situação hipotética, não precisa ficar com raiva. É só pra demonstrar, que um mesmo momento pode ser apropriado de formas diversas,e compreendido com graus de realidade diferentes.

Agora vamos a outro exemplo. Você chega tarde em casa, e ver a necessidade de lavar a louça,deixada suja no dia anterior. Então, enquanto lava os pratos, resolve colocar uma música,pra ter uma sensação,que não seja aquela que se realiza no contato de suas mãos com os utensílios domésticos . Agora diga; qual é a realidade do momento? Os pratos? O contato com os pratos ou a música que às vezes é responsável por transferir o pensamento a outro espaço temporal? 

Vamos à outra situação. Você tira uma foto de uma belíssima paisagem, que revela um luar inacreditavelmente lindo. Quando ver a foto revelada,começa a admirar e pensa –Aqui é a pura expressão da realidade. Mas vamos pensar bem. Aquela foto foi o seu recorte da paisagem. E poderiam ser vários outros. Mas aquela era a forma que sua percepção encontrou de revelar o movimento da luz, aquilo era com certeza uma realidade significativa em sua concepção de mundo. Mas jamais poderia ser considerada como a realidade única.

Tome o sonho como exemplo, considerado por muitos o oposto do que seria a realidade. Agora responda; Que realidade é essa, que pode ser concebida sem considerar os sonhos, as esperanças,as aspirações mais profundas? Que realidade vazia seria essa?

Seria o amor também uma negação da realidade, já que sabemos que o contato se efetiva entre corpos e não entre almas? Não seria a nossa ilusão componente da realidade? Deus, fé, amor, não são materiais que apalpamos, que vemos e que cheiramos. Mas os condicionamentos culturais fazem esses elementos fazerem parte de nossa realidade.

A realidade é um recorte da paisagem, é um espaço da expressão é um lugar da linguagem, ou seja, o que não tem nome,não é real,ou ainda não é realidade.

Agora responda: em qual realidade seu pensamento está fixado,quando sua boca pronuncia a palavra, ou quando a caneta desenha no papel essas nove letras.