31/07/2012

ENCONTRANDO-SE

                                    


Uma cicatriz no rosto, marca que não se apaga com o tempo.Sua beleza foi afetada,e agora não é tão linda quanto antes. Quer chorar, rasgar o resto da carne. Seu ódio é maior do que tudo. Você se apegou a sua beleza como uma criança se apega ao leite materno,esse era seu alimento,seu reflexo no espelho sua imagem nas fotografias,e o prazer ao ver no outro a sua própria imagem refletida nas retinas de seres menores,mas que tinham o prazer de degustar momentos maravilhosos. Agora não pode sair, não pode se mostrar,os olhares parecem que querem te devorar de um modo diferente de antes. Você não sabe o que fazer, não se reconhece mais na carteira de identidade,não se reconhece mais na vida. Toda a sua vida era a imagem de seu próprio rosto, e agora o que você tem é uma pele flácida que não suportou a chama de uma paixão que queria possuir tudo. Você agora é feia, fraca e doente,tudo em você remete a mediocridade que antes não reconhecia. Tudo parece ter acabado,desmoronado,o mundo que vive agora é outro,lhe falta a beleza e o pior, lhe falta o dinheiro para comprar um novo rosto. Agora sua cara desfigurada não pode lhe reder sequer uma moeda, a não ser como uma dessas monstruosidades que vivem nas ruas se alimentando da caridade daqueles que aprenderam a amar os seres atrofiados. Você agora é um simples animal em busca da própria sobrevivência,tem que aprender a caçar com as próprias mãos,e usar os dentes até a raiz para poder comer a carne crua da última batalha.
Mas por enquanto a guerra que trava é com você mesma, tem que se tornar um corpo por inteiro e não somente uma face,tem que saber que não dar para olhar os outros como se estivesse de frente a um espelho, lembre sempre, seu espelho está quebrado,estilhaçado e suas antigas ilusões não lhe servem mais para nada. Agora levante-se ou morra definitivamente,se a primeira opção for a escolhida não pense que vai receber os parabéns,você só fez uma escolha,e isso é quase insignificante em face do que vem depois,vai ser necessário amar a própria tragédia de viver,vai ter que se inserir na própria dor e mesmo assim gozar com a merda que lhe serve de alimento e de substância.Escolher viver é justamente isso: escolher, reconhecer as impossibilidades e ao mesmo tempo ridicularizá-las,para que se faça ri com a lágrima de cada dia .