18/08/2012

LÍNGUA E LINGUAGEM


Muito  prazer em conhece-la.
Meu nome não importa,
O seu, menos ainda,
O que não foi feito por nós,
Serve para nos deter,
O que não se pode escolher,
Deve-se disfarçar.
Muito prazer;
Tenho a sensação de ser você,
Amiga do meu esquecimento,
E companhia da minha dor.
A sua solidão não é estranha,
Tenho a impressão,
que é tanto sua, quando minha.
Vi você passar tantas vezes,
Que até tenho medo de te inventar,
Como fiz outras vezes,
Mas dessa vez é diferente,
Não vou lhe projetar em minha segurança,
Nem falar a distancia.
Com a musa que não tem admirador,
Mas um louco de olhos atentos,
Na beleza que expressa o que ainda não foi dito.