22/08/2012

Na Fotografia



Suas mãos no violão,
Nada se escuta,
Palavra não ousa dizer,
Apenas o sentimento,
Que não produz som algum.
É no sofá ou na cama,
O suor que produz a lama 
Na linha imaginária que distancia,
Mas não separa.
A fotografia guardada na lembrança.
E no sonho de criança.
Parece que em tudo existe a presença,
Desse som que não ouço.