31/08/2012

Sem receio.


Não escrevo mais versos pra você,
Não pensarei nem mais um instante em revoluções
Vou acordar cedo,pra fugir dos sonhos.
Vou dormir tarde,para sonhar um pouco acordado.
Não levantarei hipóteses,que tenha que afirmar ou negar.
Não deixarei de mergulhar, por medo de morrer afogado.
O único receio vai ser de continuar vivo.
Vou quebrar com o riso,
Vou rasgar com um beijo.
Vou desejar o desejo.
E esquecer do resto.