08/10/2012

DEVAGAR E SEM DIREÇÃO



Não sei muito sobre a vida,
E não sei quanto tempo leva pra saber,
Só sinto que às vezes cansa,
E quase sempre não conseguimos,
E quando acontece, logo perde-se o encanto.
Devagar e sempre, envelhecemos,
E na velocidade frenética, perdemos os instantes.
Seduzidos pelas paixões tem-se algo,
Apegado à vida perde-se esse algo.
Sofre-se, dorme-se, inventam-se realidades,
Disfarça-se o que não se senti,
Ganha-se fortunas,
E perde-se o apreço,
Pelo que não tem preço.