23/10/2012

ROTINA ALIMENTAR.


No centro da cidade do crato,as 18:00 h,
estava eu, sentado a espera de um sanduíche,
numa dessas lanchonetes, em que muda-se o nome da comida,
mas o gosto e os ingredientes, parecem ter o mesmo sabor,
que não se sabe bem qual é,já que o ketchup e a maionese,
tiram toda a sensibilidade do paladar e o que se tem,
são  dois pães,com alguma coisa no meio.
Mas de todo modo não era sobre isso que queria falar,
mas das pessoas que passavam,
vindas do trabalho,indo para a academia,
para a universidade ou simplesmente vagando,
sem saber para onde ir e quando chegar.
Sempre fico curioso em saber,
o que faz as pessoas fazerem o que  fazem,
É uma forma de refletir sobre mim mesmo,
de desorganizar o meu mundo simbólico.
No fim da análise,nunca chego a uma consideração,
mais ou menos conclusiva,apenas vagas hipóteses.
E por alguns minutos esqueço,que estou ali,
a espera de dois pães com alguma coisa no meio,
que tenho até medo de olhar para ver o que é.
Talvez um daqueles ratinhos peludos,
que a gente corre com medo.
Não importa, o ketchup tira o gosto.
Enquanto mastigava,as pessoas continuavam  passando,
mas não me interessavam mais que o meu camundongo,
Banhado ao moho de maionese com sangue de menstruação,
Das garçonetes,que iam e viam,enquanto eu comia.