31/12/2012

SEU JEITO



Seu jeito bem comportado,
Sua roupa sempre engomada,
Seu olhar de liberdade aprisionada,
Sua felicidade de televisão
Sua dose de migalhas,
Seus sonhos de consumo.

Seu ambientalismo predador,
Seus lábios vermelhos de dor,
Sua cara coberta de pó
Seu corpo objeto de marcas,
Sua beleza maquiada de feiura.

A necessidade de ser mulher,
O medo daquela menina,
Negando a alegria da descoberta,
E buscando em tudo, remuneração.

A necessidade de lentes,
De técnicas fotográficas.
Escondida atrás de máscaras,
Prefere as frases feitas,
As receitas os moldes,
Invés do pincel.