16/01/2013

A ONDA AGORA É...



A minha alegria é sempre cortada por um vazio,ou seria a ausência preenchida por momentos de alegria.Como se eu soubesse da resposta. 
Cheguei em casa a pouco tempo,tinha ido alugar um filme. Andei bem devagar pelas ruas do Crato,como se não quisesse chegar até onde pretendia ir,mas lá estava eu, de frente aquele monte de filmes,cujas capas já diziam: " esse filme é uma bosta,vai alugar porque não tem nada pra fazer." E não deu outra. Procurei até encontrar um filme, que segundo a sinopse, era a história de uma atriz de filmes pornos,cujo pai tinha uma séria doença. E ela vivia entre os filmes que fazia e a convivência com seu pai. 

Cheguei em casa, coloquei o filme no aparelho e a vontade após cinco minutos, foi de voltar a locadora e exigir meus dois reais e cinquenta centavos de volta. É assustador saber que estamos cercados por todo tipo de lixo:daquilo que colocamos na boca ao que colocamos de frente aos olhos. Encontrar um filme com um conteúdo minimamente interessante é como ligar o rádio e esperar que entre as 300 músicas de forro,tenha uma quer dê pra ouvir, sem ter a impressão que tem alguém lhe chamando de "filho de rapariga de arrombado e de namorado de piranha."

As vezes, tenho a  impressão que as coisas em todos os âmbitos, são produzidas para ofender, para nos chamar de palhaços,para danificar a nossa saúde,com todo tipo de de droga. Droga no pior sentido,não é aquela que deixa você doidão,essa em algumas situações é bem vinda. Mas é na verdade aquela, que faz você enfiar o dedo no cu e cheirar a própria merda e ainda pagar a alguém por lhe dar a ideia fantástica  que a onda agora é enfiar o dedo no fundo . Desculpem,mas a única analogia que parece mais adequada foi a que acabei de mencionar.