26/01/2013

LUZ E SOMBRA.



Olhos de guerra,
Fazem do tédio estranhamento.
Raios de luz, de um azul ensolarado,
Brilho que se espalha pelo corpo,
Em contornos que a natureza não copiou.
Assim como a flor com desenho assimétrico
Mais visível que todas as outras flores,
Expressão contida do esplendor sem medida.

O tempo só para curtir,
Pra não ter de esperar o amanha,
Pra te ver com olhos fechados,
E saber que mais lindo que o  rosto,
É o beijo de tarde da noite,
Que encerra a escuridão
E apresenta um novo dia,
Sempre deixando a sombra,
Para a luz aquecer,
Sem queimar a pele.