17/02/2013

SEM MEDO


Não há nada a temer,
E o que assusta
Não há como evitar,
O fim está traçado,
Pelo acaso que é
O acidente da matéria.

Não há motivo pra vacilos,
É você quem sabe ,
Seja feliz como puder
Do jeito que lhe valer .

Ame até o limite
Lute e durma
Quando quiser.
A batalha e o sono,
São seus, até o fim,
Digam o que disserem.

Agora se desistir
Não imagine outras vidas,
Se não for aqui,
Não vai ser,
Diga seu medo o que disser.