01/04/2013

ATÉ O OSSO.




Dedo no gatinho,
Você  na mira,
E não demora muito,
Sua vida vai virar cinza.
É o que a mídia diz.

Talvez um daqueles policiais,
Ou um simples desempregado,
Em busca do leite das crianças.
Pessoas treinadas,
para conceberem uma vida supérflua,
Se  não tiverem um carro de luxo,
E um corpo bem escupido pelo dinheiro.

Um corpo perfeito é um desperdício,
Uma vida de medo não é vida,
E a crença que lhe deixa seguro,
É a mesma que  fode a  vida,
Da pior forma possível.

Amar até se perder,
Gozar até o osso,
Felicidade é uma palavra,
Não se deixe convencer,
Pelo que não atinge os seus sentidos,
O incomodo é o começo do prazer,
Mas não sua realização.