13/04/2013

HOMEM MEDÍOCRE


Eu,expressão de homem medíocre,
Mais reles que qualquer outro,
Possa vir a ser em todas as suas
possibilidades de mediocridade.

Nada de grandes acontecimentos,
Sou somente aquele ausente,
de todas as revoluções.

Um bêbado depravado,
Criminoso sem honra,
Sem grandes causas e ideais.

Não tenho nada,não sou mais
Que uma grande porção de nada,
Um acidente da matéria,
Sem sentido,sem motivo ,sem nada.

Deitado nessa rede barata,
Protegido por essas paredes amarelas,
vejo as estrelas por entre as grades
desse apartamento que não é meu,
Sinto toda a minha insignificância,
na imensidão de um universo que brilha,
indiferente do tamanho de meus sonhos.