29/07/2013

UM AMOR ASSIM



Amor calmo,
que alimente a cada dia a loucura,
real que não deixe de imaginar o mundo,
e o recrie com novas tonalidades.

Amor que reúna toda a leveza e  peso da vida,
que seja alegre,mas saiba conviver com a mais profunda tristeza,
que pule de contentamento e nade na sofreguidão extrema,
que sorria, mas não só pra disfarçar o desespero.

Amor dos vampiros,
dos monstros que jamais serão estátuas ,
dos pecadores que de jeito algum poderão ser perdoados,
Pois violaram os bons costumes e a conveniência moral.

Amor de paz e guerra,
De crises e criações sem medida,
De encontros e desencontros,
De olhares que expressão toda verdade possível.

Amor sem alianças,
Feito também de desamores,
De fogo, água e carne,
Nem maior ou menor do que deve ser.

Amor que não dê garantia de nada,
Que não traga segurança,
E não sufoque ainda mais a liberdade,
Mas que  voe mesmo com as asas cortadas.

Amor sem fadas e mesmo assim encantado,
Um milagre sem deuses para atrapalhar,
Aqui agora e pra sempre,
Preste a acabar e desfazendo-se.

Sem sacrifícios mas dedicado,
Sem ilusões de além mundo mas imaginativo,
Sem piedade mas cuidadoso,
Complexo e absolutamente simples.