03/01/2014

ENTRE AMIGOS E VINHOS



Entre amigos e vinhos,
Pensamentos de fumaça,
sobrevoam o quintal ,
e esbarram na sobriedade.

Agora somos casados,
sobrinhos comportados,
profissionais do magistério,
prostitutas em busca de prazer.

Esperamos pelo amanha,
sabendo que o dia acabou cedo,
e com o gosto da destruição por provar,
quem sabe hoje o sonho possa acabar.

Depois tudo será pior,
a bebida perdendo o efeito,
o giz no quadro negro ,
a esperança como veneno sem efeito .

cada vez que o sol nasce
é mais uma chance pra chorar,
e as vezes é quase insuportável,
conhecer cada passo do dia seguinte.

Enquanto isso o sono,
se nada acontecer,melhor
a vida terá outros para comer,
dormindo como se nunca tivesse sido,
qualquer coisa que tenha existido.

De hoje eu não passo,
a noite fará o trabalho,
que o preço da droga não permitiu,
quem dera  o mundo me cuspir.

Não há nada de especial na última noite,
eu não poderia estar aqui sozinho,
mas o que restou foram palavras,
que não dizem tanto quanto o silêncio.